A utilização de um fluxo de trabalho digital revolucionou a forma de fabricação das próteses odontológicas. Dentre as principais razões, podemos destacar os benefícios em praticamente todos os estágios de trabalho, excelente custo benefício, maior conforto aos pacientes e previsibilidade.

Conhecendo os benefícios oferecidos, você deve estar se perguntando: o que devo considerar para migrar meu laboratório ou clínica para um fluxo digital e tornar essa mudança o mais suave possível?

Primeiramente, vamos observar o fluxo completo de trabalho digital:

Fluxo de Trabalho Digital

Ao remover o uso de moldagens e modelos de gesso, tanto a clínica quanto o laboratório têm uma redução significativa no tempo de processamento e no tempo de espera do paciente.  Isso também permite que possíveis erros sejam analisados e corrigidos antes da fabricação, aumentando ainda mais a qualidade do trabalho final. Mas antes de escolher seu sistema, alguns fatores chaves devem ser considerados:

               Quais equipamentos devo adquirir?

É importante realizar uma pesquisa detalhada da demanda dos seus clientes, equipamentos que seus parceiros possuem e o retorno sobre investimento (ROI) esperado, desta forma você poderá realizar a melhor aquisição com o menor investimento e maior retorno. Lembre-se também de considerar benefícios intangíveis, como o o valor que será agregado à imagem da sua Clínica/Laboratório, além do oferecimento de um melhor serviço e peças com mais qualidade. Estude o que há disponível no mercado, fazendo comparativos das diversas tecnologias existentes.

               Implementando a mudança

Qualquer mudança e tecnologia nova implementada irá demandar um tempo de ajuste e uma curva de aprendizado por parte do operador. Laboratórios e clinicas podem, inicialmente, ficar apreensivos quanto à ausência do modelo de gesso e dentistas deverão fazer a transição para o escaneamento intraoral. Para facilitar o fluxo de trabalho, modelos podem ser feitos por Impressão 3D para serem usados para ajustar e chegar aos parâmetros que melhor atendem as suas demandas.

É importante também dar a devida importância à comunicação com seus parceiros, tendo a certeza de que quaisquer dúvidas ou inseguranças sejam resolvidas nos primeiros casos para que, a partir daí, seja construída uma relação de confiança nos resultados apresentados, fazendo com que a transição seja suave e vantajosa.

               Escolhendo um Sistema

Existe uma ampla variedade de sistemas e tecnologias que podem ser aplicadas a um fluxo de trabalho digital. Desta forma, como saber qual atenderá melhor a sua necessidade?

A primeira informação que você deve ter em mente: Existem dois tipos principais de sistemas, os Sistemas Fechados e os Sistemas Abertos. Nos Sistemas Fechados você não poderá trabalhar com nenhum componente fabricado por outra empresa e só poderá enviar seu trabalho para parceiros que usem o mesmo sistema que você. Então, você precisaria investir em mais de um sistema, caso os seus parceiros não utilizam o mesmo que você. Já os Sistemas Abertos permitem receber e enviar arquivos e trabalhos para diversos sistemas, sem restrições de fabricantes, tornando essa a opção mais flexível e com melhor custo benefício.

               Garantindo que o produto final tenha qualidade

Finalmente, é extremamente importante garantir que a prótese feita em um fluxo digital tenha adaptação precisa no paciente. O fator que mais influencia a adaptação, é o escaneamento em si. Isso significa que os laboratórios devem estar bem treinados e atentos para perceberem quaisquer erros que possam afetar o trabalho, e então comunicar-se com o dentista para corrigir o problema, antes de prosseguir com o projeto. A escolha do Scanner a ser utilizado também deve ser levada em conta, pois um bom Scanner garante melhor confiabilidade e constância.

Se você quer saber mais sobre o Fluxo de Trabalho Digital e sobre nossos sistemas entre em contato pelo telefone (16)3415-0530 ou contato@smartdent.com.br